As direcções regionais de Educação publicaram, ontem à noite, quarta-feira, nos respectivos sítios da internet, a lista das 701 escolas do 1.º Ciclo que já não vão abrir portas em Setembro.

Segundo o JN, os municípios foram apanhados de surpresa e prometem contestação. (…) Albino Almeida, presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais, não se pronuncia sobre a lista de encerramentos, mas só espera que sejam cumpridos os requisitos do protocolo assinalado em Junho entre a ANMP e o ME: ou seja, que as escolas de destino sejam melhores e com mais condições e que seja assegurada a alimentação e o transporte dos alunos. Caso contrário, insiste que “a última palavra é sempre das autarquias” e que “há tempo” para encontrar soluções. Não estando garantidas essas condições, “a solução mais lógica é manter os alunos nas escolas onde estavam, com os seus professores”.
Anúncios