Com frequência, os membros de grupos minoritários têm tendência a verem-se como diferentes da maioria. Normalmente, os grupos minoritários estão física e socialmente isolados do resto da comunidade. Tendem a concentrar-se em certos subúrbios, cidades ou região de um país. Há poucos casamentos entre membros de grupos maioritários e minoritários entre grupos minoritários. As pessoas pertencentes a estes grupos promovem activamente endogamia (casamento dentro do mesmo grupo) de forma a salvaguardar a sua própria identidade cultural.
Muitas minorias são étnica e fisicamente diferentes do resto da população. É o caso dos negros e asiáticos que vivem na Grã-Bretanha, por exemplo, ou dos afro-amerícanos, chineses e outros grupos nos Estados Unidos da América. Diferenças físicas como a cor pele são geralmente designadas como raciais. As distinções raciais raramente são neutras, pelo contrário, estão normalmente associadas a desigualdades de riqueza e poder, bem como a antagonismos entre os grupos. Das tensões entre grupos étnicos, aquelas que se baseiam na raça são particularmente prevalecentes.A noção de grupos minoritários (ou minorias étnicas) é largamente usada em Sociologia e envolve mais do que uma simples distinção numérica. Existem muitas minorias num sentido estatístico, tais como pessoas que tenham cabelo ruivo ou que tenham determi­nado peso, mas em termos sociológicos estas não constituem uma minoria. Para esta disci­plina, os membros de um grupo minoritário estão em desvantagem em relação à maioria da população e têm um certo sentido de solidariedade de grupo, de pertencerem ao mesmo grupo. A experiência de serem objecto de preconceitos e discriminações amplifica normalmente sentimentos de lealdade e interesses comuns.
Giddens

Anúncios