Um arcebispo do Brasil excomungou uma mulher cuja filha de 9 anos foi obrigada a abortar. Os médicos que fizeram o aborto também foram excomungados pelo arcebispo católico de Olinda e Recife. Todo este caso teve início quando a criança de 9 anos ficou grávida de gémeos após ter sido violada pelo padrasto.

Dada a tenra idade da criança, a gravidez colocá-la-ia em situação de risco de vida.

O arcebispo não excomungou o violador, padrasto da menina.

Eu cá tenho uma ideia muito simples sobre a coisa: foi pena que a mãezinha do arcebispo não soubesse o que aí vinha, pois se percebesse que ia parir este monte de merda, teria abortado em devido tempo.

Anúncios