“Uma criança que cresce numa sociedade civuilizada é ensinada a refrear os seus instintos naturais, a reprimir os seus verdadeiros sentimentos, a impor as categorias artificiais do pensamento conceptual sobre os seus sentimentos e a fingir que pensa e sente coisas que não sente nem pensa. Por conseguinte, a civilização é corruptora e castradora dos valores verdadeiros”. Assim, o que devemos fazer é “mudar a civilização de forma a possibilitar aos nossos instintos naturais uma expressão completa e livre.

 Confronte com:

Uma professora de 22 anos foi hoje “brutalmente agredida” pela mãe de uma aluna à porta da Escola Primária do Cerco, no Porto, tendo recebido tratamento hospitalar.

“Ficou com a cara toda aberta e o corpo coberto de escoriações e pisaduras. [A agressora] arrancou-lhe o cabelo, deu-lhe pontapés, bateu com tudo o que tinha.
Suponho que a educação “à Rousseau” começa a dar frutos. Encorajemos, pois, esta mãe e respectivo rebento a exprimir das mais variadas formas toda a sua criatividade, libertando-se das grilhetas opressoras da sociedade.

Anúncios